Fecha todos | Abre todos


Volume 2 – Número 6

Carteira escolar inclusiva
Realizado pela ONG Noisinho da Silva, o Projeto Carteira Escolar Inclusiva - CEI, patrocinado pela BR PETROBRAS, com parceria de design com o escritório ÍNDIO DA COSTA DESIGN, visou o desenvolvimento de um produto que atendesse a todas as crianças no ambiente escolar, sejam dEFICIENTES físicas ou não. O Projeto teve como objetivo criar um mobiliário de Design Universal, uma Carteira Escolar Inclusiva, que sirva a todos os alunos, sem realçar a dessemelhança ou provocar descriminação. Participaram da pesquisa 28 instituições de ensino de Belo Horizonte, analisadas diante de sua estrutura arquitetônica, de mobiliário e atitudinal. Para o trabalho de pesquisa sete equipes multidisciplinares, com 25 pesquisadores de campo, fizeram o levantamento dos dados. A seleção das escolas ocorreu a partir da presença de mais de dois alunos dEFICIENTES físicos matriculados nas primeiras séries do ensino fundamental. Os alunos destas turmas tiveram as medidas de peso e altura coletadas. A amostra para o estudo antropométrico foi composta a partir da média e os extremos em relação à altura.
ONG Noisinho da Silva
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):2-7.
Etiologia da paralisia cerebral na Associação dos Portadores de Paralisia Cerebral de
Santos
Este estudo visou avaliar a epidemiologia, as causas etiológicas e o comprometimento motor em indivíduos com Paralisia Cerebral (PC), visando contribuir para medidas de prevenção e para a casuística brasileira. Foram coletados dados de prontuários de 110 indivíduos com PC de 0 a 50 anos submetidos a tratamento de habilitação na Associação dos Portadores de Paralisia Cerebral de Santos (APPC). Encontramos 57,2% do sexo masculino, 47,4% de prematuros e 52,4% a termo, sendo a maioria nascida com baixo peso e predominância de causas pré-natais unicamente ou em conjunto com causas perinatais. Foi observado que quanto mais prematuros, maior a ocorrência de causas pré-natais de PC. Nossos dados comparados aos de outros países revelam incidência discretamente maior de crianças a termo, incidência maior de causas perinatais; dentre os prematuros, predominaram crianças nascidas mais próximas do termo, refletindo talvez maior mortalidade dos prematuros extremos e taxas maiores de complicações perinatais.
Cláudia Alcântara de Torre
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):8-13.
Avaliação mental em crianças com paralisia cerebral com a história “Alice no país das
maravilhas”
Este artigo relata a experiência de contar a história “Alice no país das maravilhas” para crianças com paralisia cerebral, com o objetivo de avaliar a representação da imagem mental por meio de desenhos feitos em cada sessão. A história foi dividida e contada com objetos concretos, resultando também na avaliação do grafismo infantil conforme os estudos de Piaget sobre a imagem mental, observando-se o desenvolvimento global dessas crianças.
Lídice Cassis, Ana Alice Francisquetti
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):14-22.
A utilização das tecnologias de informação e comunicação em indivíduos com paralisia cerebral
Neste artigo é relatada a experiência de um grupo interdisciplinar de pesquisa intitulado Estudos em Design na linha de pesquisa Design Inclusivo de Equipamentos, Brinquedos e Vestuário do Centro Universitário Feevale, localizado na cidade de Novo Hamburgo, no estado do RS. O grupo é composto por pessoas das áreas de design, fisioterapia e psicopedagogia que estão trabalhando com o objetivo de incluir alunos com necessidades educacionais especiais na sociedade e na escola de ensino regular.
Regina de Oliveira Heidrich
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):23-30.
Síndrome da regressão caudal: Relato de dois casos
A Síndrome da Regressão Caudal é uma doença rara caracterizada por um largo espectro clínico-radiológico. Pode variar desde agenesia sacral até alterações graves como a síndrome da sereia. Pode ser diagnosticada no período pré-natal pela ultra-sonografia. Sua incidência varia de 1 a 10 por milhão de nascidos vivos, sendo mais freqüentemente associada a diabete materno e a malformações do cordão umbilical. Os achados clínico-radiológicos são percebidos logo ao nascimento, a medula espinhal é bastante afetada, e o déficit neurológico dos membros inferiores pode ser grave, levando a amputações. Outros problemas ortopédicos são as contraturas em flexão dos joelhos e quadris, escolioses, instabilidade lombo-pélvica, luxações dos quadris e pés eqüino-varo. A classificação de Renshaw a divide em quatro tipos. O objetivo deste trabalho é relatar as características clínico-radiológicas de dois casos de Síndrome de Regressão Caudal.
Sérgio Daher, Frederico Barra de Moraes, Newton Antônio Tristão, André Luiz Cardoso Passos, Wilson Eloy Pimenta Júnior, Renato Tavares Daher, Ricardo Tavares Daher
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):31-5.
Utilização dos princípios da integração sensorial na paralisia cerebral: Estudo de caso
O objetivo deste trabalho foi analisar a indicação, estratégias de aplicação e eficácia de recursos de integração sensorial (IS) na clínica de paralisia cerebral (PC). São discutidas as bases neurofisiológicas, os aspectos do processamento sensorial, o planejamento motor e a execução do movimento de uma criança com PC do tipo atáxica, a partir da análise do segmento longitudinal de dois anos. Para o diagnóstico dos déficits sensoriais, foram utilizadas as Observações Clínicas modificadas e o Perfil Sensorial. Os dados obtidos indicam eficiência na utilização concomitante das estratégias terapêuticas propostas na Integração Sensorial com o Método de Tratamento Neuroevolutivo Bobath (TNE).
Elisângela L. S. Fidos, Lisa Carla Narumia, Maria Cristina de Oliveira, Estela dos Santos
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):36-41.
Síndrome de Marfan: Aspectos das deformidades vertebrais
As deformidades vertebrais são muito freqüentes nos pacientes com síndrome de Marfan. A escoliose é a deformidade mais comum, ocorrendo em mais de 50% dos pacientes. Outras alterações importantes são as lombalgias, as espondilolisteses e as protusões acetabulares. O objetivo deste trabalho é descrever as deformidades vertebrais encontradas em três pacientes com a síndrome de Marfan acompanhados no Serviço de Coluna do IOG e no HC/UFG em 2005, comparando suas características clínicas, radiológicas e terapêuticas com as descritas na literatura.
Frederico Barra De Moraes, Newton Antônio Tristão, Sérgio Daher, Luiz Carlos Milazzo, Renato Tavares Daher, Ricardo Tavares Daher
Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral 2007; 2(6):42-46.
Aqui você encontra resumos de artigos científicos publicados na revista “Arquivos Brasileiros de Paralisia Cerebral”. Para obter o artigo desejado na íntegra em PDF acesse o site www.memnon.com.br.

 © 2012 - ABPC - Associação Brasileira de Paralisia Cerebral - Todos os direitos reservados.